sábado, 24 de dezembro de 2011

Olá amigos.

Desejo à todos e todas, independente de religião, católicos, evangélicos, ateus, espíritas e independente de ideologia política, um Feliz Natal. Que essa data não seja apenas uma ocasião em que trocamos presentes, comemos boa comida ou enchemos a cara.

Mas que sirva para uma reflexão sobre como podemos ser pessoas melhores para com os outros. Não apenas no natal mas que esse espírito esteja presente durante todos os dias do ano.

Até mais.

terça-feira, 20 de dezembro de 2011

SALÁRIO DE VEREADOR: R$ 12.000,00. SALÁRIO DO GARI: R$ 580,00. ISSO NÃO É JUSTO!

A implementação do PCCR vem sendo empurrada com a barriga há tempos. Essa administração, desde o principio, dava sinais não implementaria um plano que  atendesse a necessidade dos trabalhadores.  Não tapemos o sol com a peneira. A administração do PT teve tudo na mão para implementar o plano e não o fez. Foi engavetado. 
O que deixou os servidores indignados foi a facilidade em que a administração sancionou a lei que reajustou o salário dos vereadores em  quase 90% , salários de secretários municipais  e do próximo prefeito.  Numa entrevista o prefeito declarou: “A cidade quer ser bem administrada então deve proporcionar aqueles que têm a responsabilidade de cuidar da cidade condições para isso”.
Para os servidores, nada. A imensa maioria tem salários baixos.  Veja: enquanto um vereador terá o salário de quase R$ 12.000,00  um gari recebe R$ 580, 00 mensais, 
Isso não é justo!

sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

Olá colegas

Olá pessoal. No domingo posto sobre  a última assembléia e algumas impressões sobre tudo que está acontecendo sobre o PCCR.

Lamentável.

quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

"Eu não vou me mover".

O colapso da educação no Brasil

• O sistema educacional brasileiro atravessa uma crise estrutural e crônica. Paradoxalmente, essa crise ocorre em meio a um rico contexto de avanços tecnológicos e novas descobertas científicas (genoma humano, nanotecnologia, desenvolvimento da informática, por exemplo). Mas as políticas neoliberais aplicadas à educação ao longo dos anos 1990 pelo governo Fernando Henrique Cardoso (PSDB), o Plano Decenal de Educação Para Todos - 1990, e mantidas por Lula e Dilma (PT) retiraram qualquer possibilidade dos filhos dos trabalhadores se apropriarem deste conhecimento. 

O colapso da educação pública básica sequer permite os alunos desenvolverem satisfatoriamente o raciocínio aritmético e matemático. A imensa maioria dos alunos da escola pública não domina a leitura e a escrita, e estão muito distantes dos benefícios proporcionados pela informática. Não por acaso, o analfabetismo funcional atinge mais de 30% da população, segundo o PNAD 2009. Quer dizer, a cada três pessoas, uma sabe ler, mas não é capaz de entender o sentido do que lê. Como se não bastasse, nosso país é campeão de analfabetismo na América Latina, com taxa de 9,7%. 
As políticas educacionais implementadas pelos governos tucanos e pelo PT foram ditadas pelos grandes órgãos do capital financeiro internacional, FMI e Banco Mundial. O objetivo era claro: transformar a educação em mercadoria. 

O primeiro Plano Nacional de Educação (PNE), aprovado em 2001 pelo governo FHC, tinha por objetivo investir 7% do PIB na educação. Mas o compromisso com o capital financeiro falou mais alto e a medida foi vetada pelo governo tucano. Com Lula no governo a situação não foi diferente. O veto foi mantido e o PNE amargou um retumbante fracasso (veja quadro abaixo). 

Hoje, se gasta por volta de 5% do PIB com a educação, mas o governo Dilma promete ir a 7% do PIB até 2020. A meta, porém, é irrisória diante da montanha de dinheiro enviada para o pagamento da dívida pública (veja ao lado). E, diante do compromisso de Dilma com o capital financeiro, é muito difícil que essa promessa, mesmo irrisória, seja cumprida. 

Por que chegamos a esta situação? 
Ao longo dos anos 1990, toda a política em relação à educação esteve em sintonia com a política de “Estado mínimo” neoliberal. Ou seja, estavam a serviço de desobrigar o Estado em relação à educação, tornando-a cada vez mais privatizada, com a política de criar as “ilhas de excelência”. Todas elas reforçaram o caráter excludente, segregacionista e racista do sistema de ensino no Brasil. Podemos resumir, sumariamente, da seguinte forma as diretrizes centrais da nova LDB (Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional) e da Emenda Constitucional n° 14:
·  Prioridade no Ensino Fundamental, como responsabilidade dos estados e municípios. A Educação Infantil é delegada aos municípios. Assim, aplicou-se a municipalização e “escolarização” do ensino, com o Estado repassando adiante sua responsabilidade. Hoje os custos são repassados às prefeituras e às próprias escolas.
·  Aceleração da aprovação para desocupar vagas. O “rápido e barato” é apresentado como critério de eficiência. Também é marcante o aumento de matrículas, utilizadas pelos governos como jogo de marketing. No entanto, apenas são feitas mais inscrições, sem a criação de uma 
nova estrutura efetiva para novas vagas. O resultado é superlotação de salas.
·  Parceria com comunidade e empresa. A sociedade civil deveria adotar os “órfãos” do Estado (o programa “Amigos da Escola”, por exemplo). Se as pessoas não tiverem acesso à escola a culpa é colocada na sociedade que “não se organizou”. Assim, o governo fica isento de sua responsabilidade com a educação. Na antiga LDB a educação era tarefa do “Estado e da família”. Na nova, houve uma mudança na ordem e a educação se tornou uma tarefa da “família e do Estado”.
·  Formação menos abrangente e mais profissionalizante. Assim, divide-se o Ensino Médio entre educação regular e profissionalizante, com a tendência de priorizar este último. Ou seja, a ênfase do ensino é dada na produtividade e eficiência empresarial. Não interessa o conhecimento crítico, mas, sim, a formação desqualificada de ‘mão-de-obra’, levando ao empobrecimento curricular. 
·  Descentralização administrativa e financeira. Ou seja, tudo que se refere à parte financeira (como infra-estrutura, merenda, transporte), passa a ser descentralizada, isto é, mais uma iniciativa que isenta o Estado de responsabilidades. Mas a 
autonomia é apenas administrativa. Tudo o que se refere ao conteúdo didático continua dirigido e centralizado. 
·  Avaliação de desempenho e do rendimento escolar. Sistema de Avaliação do Ensino Superior, Enem, Seab e “Provão” foram alguns dos instrumentos criados para transformar as escolas em “empresas”, sob a inspiração do programa de qualidade produtiva, adaptando-a ao mercado. Mas não houve aumento de verbas, apenas alocação dos recursos para “melhores resultados”. Avaliação externa na verdade é uma inspeção escolar.

De VANESSA PORTUGAL, DE BELO HORIZONTE (BH) E JOÃO ZAFALÃO, DE SÃO PAULO (SP)  Portal do pstu.

terça-feira, 13 de dezembro de 2011

A POSSIBILIDADE DE CHOVER CANIVETES EM MARINGÁ, JOSÉ SARNEY, RENAN CALHEIROS E JAQUELINE RORIZ SEJAM PRESOS (tudo isso no mesmo dia)...

De Iraides Fernandes Presidente do Sismmar no Facebook hoje:

Hoje a tarde protocolamos oficio no gabinete do prefeito com os encaminhamentos da Assembleia realizada no domingo...Se o Prefeito quiser ainda dá tempo de honrar o compromisso assumido com os servidores (as)!!!

O comentário na postagem da presidente do Face:

Olá Iraídes. Me permita a brincadeira, não com você mas com a situação, se é que é possível fazer brincadeira com isso: conhecendo o histórico do prefeito com respeito ao tratamento que dispensa aos servidores É MAIS PROVÁVEL QUE CHOVA CANIVETES EM MARINGÁ, JOSÉ SARNEY, RENAN CALHEIROS E JAQUELINE RORIZ SEJAM PRESOS (tudo isso no mesmo dia), do que o prefeito aprovar um PCCR que atenda as necessidades dos servidores.

domingo, 11 de dezembro de 2011

Servidores municipais repudiam atitude do prefeito.



Com a presença de cerca de 160 servidores aconteceu hoje pela manhã a assembléia que deliberou sobre a proposta do prefeito sobre o PCCR (Plano de Cargos Carreira e Remuneração).
Na durante a semana foi divulgado que a administração apresentou à direção do sindicato uma proposta do plano com salários rebaixados, comparando com a proposta já aceita pelos servidores no início do ano.  Oficialmente a administração enviou um oficio à presidente do sindicato (veja na foto) dizendo que: “(...) infelizmente não podemos atender, nesse momento, a solicitação do sindicato para lhes apresentar a minuta final do plano de cargos”.   Ou seja, não confirmou a proposta aceita pelos servidores no inicio do ano empurrando com a barriga mais uma vez.
Os servidores presentes ao saber que a proposta apresentada pelo prefeito durante a semana rebaixava salários  ficaram indignados.
Foram propostas várias mobilizações que serão realizadas pelo sindicato e servidores:
-moção de repúdio da assembléia contra a atitude desrespeitosa do prefeito com os servidores municipais rebaixando salários. Essa proposta apresentada por esse blogueiro e servidor municipal.
-campanha com adesivos e panfletagens em locais públicos cobrando da administração valorização do servidor.

Minha avaliação: os servidores demonstraram mais uma vez sua indignação e insatisfação com o tratamento dispensado pela administração. Foi muito comentado inclusive o reajuste de 90% dos salários dos vereadores e secretários e para o servidor rebaixamento de salário. A direção do sindicato que sempre afirmou a importância do diálogo começa a ser empurrada pela categoria para que além do diálogo outras ações sejam realizadas.
A luta continua...

sábado, 10 de dezembro de 2011

Assembléia do PCCR


Todos à assembléia amanhã. Eu vou.
Se bem que uma assembléia marcada para às 8:30 de um domingo soa estranho. 
Será que a direção do Sismmar quer que apareçam poucos servidores?

terça-feira, 6 de dezembro de 2011

NOTA ESTADUAL DO PSTU SOBRE OCUPAÇÃO DA ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA DO PARANÁ

Em 2010 a população do Paraná votou massivamente em Beto Richa, elegendo o PSDB para o governo do Estado, na expectativa que os graves problemas de saúde, educação, segurança e infraestrutura pudessem mudar e melhorar suas vidas.
Passado um ano de governo as promessas de melhora na vida dos paranaenses ficaram no discurso bonito do jovem Governador. Alertávamos durante a campanha que a eleição de Richa seria a volta da política do grupo de Lerner, agora numa nova roupagem.
Por outro lado, a eleição de Osmar Dias (PDT) significaria, pelas suas relações com grandes empresários e latifundiários, um governo contrário aos interesses da população trabalhadora do Paraná.
Desde a campanha e também em seu discurso de posse, Beto Richa deixou claro que modificaria a forma de governar: faria uma gestão pública de resultado. Isso significava na prática, a introdução de novos mecanismos de gestão, como: a) o aumento da capacidade de endividamento do Estado; b) o estabelecimento de contratos de gestão, para que os setores privados tivessem mais espaço no governo e pudessem “modernizar” a máquina pública.
O resultado desta nova gestão para os trabalhadores
O significado desta nova forma de governar já trouxe alguns resultados na vida dos trabalhadores: a) tarifaço do Detran, com o aumento abusivo e ilegal das taxas pagas pela população; b) orçamento público voltado a aumentar as dívidas do Estado; c) a privatização dos serviços públicos.
A primeira tentativa de privatização foi contra a Copel, depois de muito questionamento o governo recuou. Agora, avançando na verdadeira face do governo do PSDB no Estado, o Governo Beto Richa propôs, sem qualquer discussão democrática com os paranaenses, um projeto de lei sobre as chamadas OS (Organizações Sociais), que na prática significa a possibilidade de privatização de serviços públicos, com o repasse de dinheiro público diretamente para o setor privado, para que estas organizações privadas administrem e executem os serviços que seriam responsabilidade do Estado e que são direito da população trabalhadora.
Todos nós sabemos que os empresários vivem de lucros, que ninguém investe sem a expectativa de obter resultados financeiros. Por isso a lógica de privatizar os serviços públicos em todos os governos, seja do PT, em nível federal, seja do PSDB, em níveis estaduais, significou a piora dos serviços, o ataque aos direitos dos servidores, a remessa de dinheiro público para o setor privado.
Neste momento a Assembléia Legislativa do Paraná está ocupada por centenas de ativistas contrários ao projeto de privatização do governo Beto Richa.
Nós do PSTU manifestamos todo nosso apoio à ocupação, como um ato legítimo e necessário, e nos colocamos ao lado da população trabalhadora do Paraná contra a privatização dos serviços públicos e pela aplicação dos recursos públicos direta e exclusivamente nos serviços essenciais, valorizando os servidores, melhorando a estrutura e o serviço público para os trabalhadores usuários.

Por isso defendemos:
ü  A retirada do Projeto de Lei que prevê a terceirização dos serviços públicos do Paraná;
ü  Pelo aumento do orçamento público para a educação, saúde e habitação popular;
ü  Suspensão imediata do pagamento da dívida pública para direcionar os recursos para as áreas de interesse da população;
ü  Contra a criminalização dos lutadores e dos movimentos sociais.


www.pstunoroeste.blogspot.com  

segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

O adeus à Sócrates.


Hoje coincidentemente acontece  o adeus à Sócrates. Não ao Sócrates grego, mas ao Sócrates genuinamente brasileiro.Por coincidência, no mesmo dia em que seu vai seu time ganha um título.
O Sócrates brasileiro é o  homem da democracia corintiana e que deixou uma história.
Hoje como milhões de brasileiros, minha filha (não ao meu gosto), meu sobrinho e minha companheira Rozilda comemoram o título.
Tudo bem. Paixões não se explicam  e ponto final.
Tristeza pela partida de Sócrates, alegria por ver pessoas felizes.

quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

Falta apenas uma...

Olá pessoal.  A diminuição do número de postagens se deve a eu estar no período de provas na faculdade. Hoje, será a última prova, se eu passar direito é claro. Direito do Trabalho, com o professor Zeni. 
Nas últimas semanas era comum ir dormir às três da manhã, estudando. Não me considero um "CDF" mas reconheço que me dedico.
Para mim, um maringaense criado na periferia de Londrina, especificamente nos Cinco Conjuntos, trabalhando desde os 13 anos e sempre quis cursar uma faculdade, não poderia ser diferente. Me dedico mesmo. Aproveito o máximo, absorvendo o que for possível de conhecimento.
Acredito que num futuro próximo esse esforço será recompensado.


Bom dia à todos.