quarta-feira, 30 de maio de 2012

Servidora municipal denuncia demora no atendimento no hospital credenciado ao SAMA.

A Servidora municipal Priscila Guedes denunciou ao Sismmar a demora no atendimento no hospital  Santa Rita, único credenciado ao SAMA para atender servidores municipais. A servidora aguardou por duas horas até ser chamada para preencher a ficha. O documento  relatando o caso e pedindo  providências  foi entregue no sindicato.


PEDIDO DE PROVIDÊNCIAS
 Como servidora filiada ao sindicato, trago ao conhecimento dessa diretoria os seguintes fatos.
 No último dia 09/05/201 busquei atendimento no Pronto Socorro do Hospital Santa Rita, o único hospital conveniado à administração e responsável pelo atendimento à todos os servidores municipais de Maringá.
Dei entrada naquele serviço por volta das 19:30 horas. Como os demais pacientes retirei a senha para ser atendida. Para ser chamada para fazer a ficha esperei por nada menos que duas longas horas. Não aguentando mais esperar decidi perguntar a recepcionista o por quê da demora. Ela me respondeu que era assim mesmo e que eu deveria continuar aguardando. Nesse momento liguei para a diretora do SISMMAR para relatar a situação. Tempos depois, fui chamada para fazer a ficha e por estar ali há mais de duas horas reclamei do descaso no atendimento. A resposta que tive da recepcionista foi: “Descaso é querer passar na frente dos velhinhos”. Respondi que ”descaso é o hospital ser muito bem remunerado pelo município e não colocar funcionários e médicos suficientes para atender os servidores”.
Após a triagem fui encaminhada para a consulta médica. Durante a consulta atendida o médico disse ironicamente que eu poderia “ficar até 14 dias e não morreria por causa disso”.
Companheiros, sabemos que diariamente centenas de servidores são obrigados a procurar esse hospital para serem atendidos, pois é o único que atende servidores municipais credenciados ao SAMA. Não sou a primeira a aguardar horas para ser atendida. Muitos servidores sofrem com essa mesma situação, mas tem medo de reclamar e sofrerem represálias.
   Solicito que essa entidade tome as providências junto à administração para que essa exija desse hospital melhores condições de atendimento. Um atendimento no qual os servidores, e não servidores, sejamos tratados com dignidade. Um princípio constitucional que deve ser dispensado a todo ser humano.  
  Os nomes dos citados foram preservados pois sabemos que, como nós servidores municipais, esses trabalhadores também são vítimas de um sistema que trata a saúde como negócio.

Aguardo retorno.
Priscila Guedes
Servidora Municipal



quinta-feira, 10 de maio de 2012

A vontade da população colocada embaixo do tapete




Luis do Postinho pula fora do barco em cima da hora (Agnaldo Vieira)
Devido as pressões sofridas pelo vereador Luis do Postinho(PRP) a votação que revogava a Lei do aumento dos subsídios dos vereadores, secretários municipais, vice e prefeito de Maringá, votada nesta quinta-feira, acabou empatada, com isso a proposta de diminuir os salários dos legisladores para R$ 8000,00 foi por água abaixo.
O duro é entender, se é que é possível, o vereador Luis do Postinho é integrante da Comissão de Finanças e Orçamento que foi a autora do projeto de redução, e na hora com medo e tremendo muito acabou votando contra o que ele mesmo havia concordado anteriormente, Luis do Postinho é sem dúvida mais um do PRP que não deve voltar à Câmara no próximo ano. (foto Folha de Maringá)
Fonte: Maringá Manchete


Meu comentário: Alguns vereadores parecem acreditar que o eleitor não tem  memória. De fato muitas pessoas não estão nem aí para nada. Pensam que as coisas são assim mesmo e pronto. Não se preocupam em acompanhar o que acontece na política de sua cidade. Essa postura acaba contribuindo para que as coisas continuem do jeito que estão.
Aqueles  políticos que não tem nenhum comprometimento com a coisa pública estão plenamente satisfeitos com isso.
Devem estar comemorando o dia de hoje. O dia em que mais uma vez  a vontade da população foi  colocada embaixo do tapete...

Silvio II gasta mais de R$ 260 mil com ONG de prefeitos. (Por Angelo Rigon)

O prefeito licenciado de Maringá, Silvio Barros II (PP), tirou R$ 262.800,00 do IPTU dos maringaenses e gastou com a ONG Frente Nacional de Prefeitos, da qual informou será representante na Rio+20, evento que durará uma semana, embora tenha tirado licença de 100 dias. No site da entidade, o nome do prefeito de Maringá não aparece como integrante da diretoria, nem a Prefeitura de Maringá está na relação das prefeituras associadas.
Os gastos referem-se a repasses diretos de dinheiro à entidade, com sede em Brasília, e com a taxa de inscrição do município no evento (R$ 120 mil), sem licitação. De acordo com levantamento feito pelo vereadorHumberto Henrique (PT), foram depositados para a FNP R$ 48 mil em 2010, R$ 40.800,00 em 2011 e R$ 54 mil este ano. O Ministério Público está sendo acionado para que o prefeito devolva o dinheiro aos cofres públicos

sexta-feira, 4 de maio de 2012

Melhor assim


O acúmulo de entulho em frente à uma unidade do Programa Saúde da Família localizada na Vila Vardelina não existe mais.
Ontem esse modesto blog postou a  foto do monte de entulho que se acumulava no local há  meses. Horas depois a prefeitura promoveu a limpeza no local.
Melhor assim não é mesmo?



quinta-feira, 3 de maio de 2012

Uma dica para a Administração Municipal


A foto mostra um monte de lixo aglomerado no pé de uma árvore.  O entulho invade a calçada e parte da rua. Não precisa ser especialista para dizer que a árvore, pendendo sobre a rua oferece risco à segurança de quem passa por ali. O lixo acumulado pode atrair insetos que propiciam a transmissão de doenças.
É claro que aas pessoas não deveriam jogar ligo ali. Talvez tenham o feito para chamar a atenção da árvore caindo sobre a rua. Não se justifica.
Finalizando, a foto foi feita em frente à uma casa do Programa Saúde da Família localizada na Vila Vardelina em Maringá.
Fica a dica para a Administração Municipal fazer uma limpeza no local. Os moradores agradecem.