quarta-feira, 31 de outubro de 2012

OS SERVIDORES MUNICIPAIS MERECEM RESPEITO


Colegas servidores e servidoras.

Quero compartilhar com vocês uma reflexão sobre o resultado da eleição e o que isso representa para nós servidores. Importante dizer que não é meu objetivo defender ou atacar A ou B, longe disso.  Reconheço que a vontade de escrevê-lo surgiu após ouvir o relato de servidores sobre situações as quais tem sido submetidos em seus locais de trabalho e suas indagações sobre que virá pela frente.
  Para essa reflexão é importante trazer à luz o artigo169 do Estatuto do Servidor que diz assim:
“Art 169: São deveres do servidor: I- exercer com zelo e dedicação as                atribuições do cargo; II- ser leal às instituições a que servir;”

  Ou seja, exercer as funções com zelo e dedicação é nossa obrigação fundamental, isso é importante. Cumprir com nossas obrigações de servidores é a melhor resposta que podemos oferecer contra qualquer tipo de perseguição e injustiça.
 A população que recebe nossos serviços essa sim é o patrão do servidor. E mais, o cargo de prefeito deve ser visto como um funcionário tanto quanto qualquer outro servidor, guardadas as devidas diferenças. Por exemplo, diferenças de responsabilidades. É ele que vai administrar a “máquina” que o servidor diariamente põe em funcionamento. Prova de que o prefeito é um funcionário assim como nós é que o salário dele, assim como o nosso, vem dos impostos pagos pelo contribuinte.
Sim, os servidores vão continuar fazendo sua parte e continuarão esperando o respeito por parte da administração. Dou um exemplo recente de desrespeito. Uma chefia durante toda a campanha usou, no local de trabalho, o famoso boton 3D do seu candidato. Não bastasse isso após a eleição e com a vitória de seu candidato, no ambiente de trabalho, comemora aos gritos e em tom provocativo: “É onze, é onze, vão ter que engolir”. Ou seja, além de fazer política no local de trabalho usa de ironia para com os servidores que ousam pensar de forma diferente. Para poupá-la de uma exposição ao ridículo não citarei o local onde isso está acontecendo. Mas posso confirmar a seu superior se for perguntado. Quem sabe seus superiores possam lhe advertir que esse não é o comportamento condizente com a administração pública que deve ser pautada nos princípios constitucionais da ética, da moralidade e por que não dizer da urbanidade prevista no estatuto do servidor.
Colegas, prefeitos vem e vão. Nós servidores ficamos.  Não aceite injustiças e não alimente expectativas, pois nossos direitos e o respeito não nos são dados, mas sim conquistados.
De cabeça erguida, vamos em frente.

quarta-feira, 24 de outubro de 2012

No estaleiro até sábado...

 No estaleiro até sábado...

Tenho sido cobrado para fazer postagens. Acontece que estou de licença médica até sábado e por ordem médica, repouso. Penso que não seria ético postar nesse condição.
Tenho certeza que dei minha contribuição, sem ofender ninguém, apenas postando aquilo que pode ser provado e talvez, quem sabe, ter contribuído com informações importantes para o momento eleitoral. 
Torço para que o SAMA libere a tomografia que o médico solicitou. Se o famoso SAMA não liberar compartilho com vocês.

Até domingo.

domingo, 21 de outubro de 2012

PLANO DE CARREIRA DO SERVIDOR: UMA PROMESSA NÃO CUMPRIDA PELA ADMINISTRAÇÃO SILVIO/PUPIN.



No ofício 1165/2011 enviado ao Sismmar, o prefeito Silvio Barros, que tem como vice o atual candidato Roberto Pupin, promete implementar o plano de carreira: Diz ele:

 “(...) tenho esse assunto como um compromisso assumido com os funcionários do município e não sairei da prefeitura sem cumpri-lo (...)”.

O plano não foi implementado nos oito anos da administração Silvio/Pupin e nessa campanha voltou a ser prometido pelo candidato Pupin.

Tire suas conclusões.

Promessas não cumpridas.


sexta-feira, 19 de outubro de 2012

E a liberdade de expressão?

O blog do jornalista Angelo Rigon mais uma vez recebeu uma punição da Justiça Eleitoral. E a liberdade de expressão?
Nas próximas 24 horas ele estará postando no endereço antigo:www.angelorigon.blogspot.com

VÍDEOS DE PROMESSAS NÃO CUMPRIDAS. VALE A PENA ASSISTIR.

Os vídeos são  da campanha de 2004 quando o candidato à prefeito era Silvio Barros e seu vice o atual candidato à prefeito Roberto Pupin.

No primeiro vídeo o  candidato Silvio Barros promete asfaltar todos os bairros de Maringá. 

Nesse o candidato promete a construção do viaduto entre a Av. Morangueira e  Av. Colombo. Promete também  o prolongamento da Av. Brasil que ligaria a Av. Ivaí até a cidade de Paiçandu.  


Nesse vídeo Silvio Barros, que tinha como vice Roberto Pupin, aborda o problema da falta de vagas em creches. Segundo esse site, mais de 5 mil crianças aguardam na fila à espera de  vagas nas  creches municipais..
                                         

Nesse último vídeo o candidato promete acabar com a demora de consultas e tratamentos especializados. Promete também que quatro postos de saúde ficariam abertos até as dez da noite. Segundo esse site atualmente mais de 20 mil pacientes aguardam na fila na espera por consultas e exames especializados. A abertura de quatro  postos de saúde ficarem  abertos até as 10 da noite não chegou se concretizar.
                                          

Os vídeos encontram-se à disposição no youtube e foram postados por Observadora Maringá. (Aqui)

Tire suas conclusões.

quinta-feira, 18 de outubro de 2012

Paz na coligação (Por Ângelo Rigon)


Divulgado por Ângelo Rigon hoje cedo:


“Luizinho Gari, do PDT, engajou-se na campanha de Enio Verri, depois de turbulências. Teria inclusive feito gravação de apoio ao candidato”.

Meu comentário: espero que tudo tenha se resolvido. 

quarta-feira, 17 de outubro de 2012

A incoerência entre o discurso e a prática

 Conheci o Luizinho na greve geral dos servidores em 2006, ocorrida na administração Silvio e Pupin. Certa feita durante uma manifestação em frente ao paço, de microfone em mão, chorando e indignado, Luizinho retirou seu holerite do bolso, jogou no chão e depois mostrou o baixo salário que recebia como coletor de lixo. Seu choro acompanhado de indignação fez com que quem assistiu a cena chorasse. Naquele período estávamos no grupo de 28 servidores que lutavam por melhores salários e foram injustamente demitidos e expostos à sociedade como baderneiros.
Luizinho é um bom sujeito, não tenho nada pessoal contra ele.  Mas ser um bom sujeito não é o suficiente para trilhar uma carreira política pautada na coerência. Como disse Messias Mendes, lhe falta “consistência ideológica”.
Sua decisão de apoiar a candidatura de Pupin é enorme incoerência. É contraditória com o que ele vivera em 2006. Afinal, decidiu apoiar o mesmo grupo político que o demitiu injustamente.  Esse apoio pode custar caro politicamente, afinal vai ser difícil explicar os motivos de seu apoio ao seu eleitorado. Talvez tenha sepultado a possibilidade de uma carreira política que poderia ser empregada à favor da classe que pertence: a classe trabalhadora. Afinal, não se deve alimentar nenhuma ilusão de que os poderosos vão atender as necessidades dos trabalhadores.
A incoerência entre o discurso e a prática. Lamentável.

Foto: Fonte: Site Maringá Maringa

Atualizado: recebi a informação do apoio de Luizinho Gari através de vários blogs e e outras fontes. Tornou-se uma informação pública que decidi comentar.
Se por acaso, não houve esse apoio o blog está aberto para o Luizinho se manifestar.

terça-feira, 16 de outubro de 2012

Administração Silvio/Pupin: em 2004 promete não privatizar, em 2007 anuncia privatização.

Apresento parte de um panfleto, da eleição de 2004, onde o candidato Silvio Barros e seu vice Roberto Pupin, atualmente candidato à prefeito, assinaram se comprometendo a não privatizar nenhum serviço público.
O segundo recorte trata-se de uma publicação feita em 2006 no jornal “O Diário” onde o secretário de saúde confirma a terceirização (ou privatização) do Hospital Municipal. Repare que no último parágrafo o autor da nota dava a privatização como certa: ”as entidades vão fazer protesto, mas não vai adiantar nada”.  
Na época o Sismmar encabeçou um movimento contra a privatização do Hospital Municipal. Mais de 40 entidades, partidos, associações e sindicatos participaram dos atos públicos. A população foi contra a privatização e impediu a privatização que era dada como certa.
Administração Silvio/Pupin: em 2004 prometem não privatizar, em 2006 anunciam  privatização.
Uma pequena contribuição para a memória política. Lamentável que aqueles que deveriam relembrar a população disso não o tem feito. Por que será?



segunda-feira, 15 de outubro de 2012

TRABALHADOR QUE LUTA POR MELHORES SALÁRIOS NÃO É BADERNEIRO NEM DESORDEIRO


Entrevista do prefeito Silvio Barros, que tinha como vice Roberto Pupin, em junho de 2006,
um dia depois do conflito no paço municipal motivado pela intransigência e falta de diálogo da administração para com os servidores. A Administração Silvio/Pupin demitiu 28 servidores injustamente acusando-os de depredar a prefeitura. A injustiça foi corrigida: um mês depois todos os 28 demitidos foram reintegrados pela justiça.
Ao votar, não se esqueça disso.



quinta-feira, 11 de outubro de 2012

O servidor não esqueceu

O panfleto distribuído a servidores na eleição anterior prometia o pagamento da trimestralidade e a valorização dos servidores. A administração Silvio Barros e Roberto Pupin não cumpriu essas promessas em oito anos de gestão.
Na hora de votar lembre disso.




quarta-feira, 10 de outubro de 2012

A gente fala a gente faz, diferente.


Panfleto da eleição municipal de 2004 assinado por Silvio e Pupin. Repare que a promessa sobre a Capsema era de melhorar o atendimento.
Em 2007 a Capsema foi extinta e criado o SAMA, motivo de reclamação de muitos servidores que aguardam horas para ser atendidos e até meses por uma consulta especializada.
A gente fala a gente faz, diferente.

Promessas de 2004:

Capsema fechada em 2007. 

(Foto: Blog Factorama)

terça-feira, 9 de outubro de 2012

Boa memória...

Conversando com servidores da SEMUSP disseram que não esqueceram que em 2006 quando entraram em greve tinham um salário de pouco mais de R$ 400,00 e a administração Silvio/ Pupin contratou terceirizados pagando salário de mais de R$ 700,00.

segunda-feira, 8 de outubro de 2012

Segundo turno em Maringá.


Os números finais:
Carlos Roberto Pupin, 82.995 votos (42,36%); Enio Verri, 68.624 (35,02%); Wilson Quinteiro, 20.661 (18,29%); Dr. Batista, 11.411 (10,10%; Maria Iraclézia, 10.259 (9,08%); Hércules Ananias, 1.030 0,91%); Débora Paiva (0,84%), 953; Alberto Abraão, 1.453 votos.


A nova Câmara de vereadores:
Ulisses Maia (PP – PP / PSDB) 6.476 3,45%
Humberto Henrique (PT – PT / PPL / PC do B) 5.184 2,76%
Negrão Sorriso (PP – PP / PSDB) 3.958 2,11%
Mário Verri (PT – PT / PPL / PC do B) 3.667 1,95%
Flávio Vicente (PSDB – PP / PSDB) 3.418 1,82%
Bravin (PP – PP / PSDB) 3.214 1,71%
Márcia Socreppa (PSDB – PP / PSDB) 2.617 1,39%
Tenente Edson Luiz (PMN – PTN / PMN) 2.406 1,28%
Luciano Brito (PSB) 2.014 1,07%
Dr. Manoel (PC do B – PT / PPL / PC do B) 1.983 1,06%
Mariucci (PT – PT / PPL / PC do B) 1.956 1,04%
Capitão Ideval (PMN – PTN / PMN) 1.900 1,01%
Luiz Pereira (PTC – PTB / PTC) 1.832 0,97%
Chico Caiana (PTB – PTB / PTC) 1.673 0,89%
Adilson do Bar (PSB) 1.522 0,81%

sexta-feira, 5 de outubro de 2012

A indefinição continua.



Tenho procurado fazer comentários sobre o momento eleitoral com a maior responsabilidade possível. Quem me conhece sabe da minha postura política e que sempre assumi a responsabilidade do que escrevo. Mas momento exige um breve comentário.  

Sobre a decisão que manteve a candidatura de Pupin é importante deixar claro que não se trata de uma decisão final pois o processo continua, não acabou.  Ou seja, a decisão proferida ontem não põe fim ao processo.

Importante frisar também que a decisão foi de um ministro e outros ministros ainda decidirão a questão. É claro que a decisão judicial muda o quadro eleitoral. Mas juridicamente nada está definido, como alguns querem fazer acreditar.

Muita água vai passar debaixo dessa ponte...