quarta-feira, 17 de outubro de 2012

A incoerência entre o discurso e a prática

 Conheci o Luizinho na greve geral dos servidores em 2006, ocorrida na administração Silvio e Pupin. Certa feita durante uma manifestação em frente ao paço, de microfone em mão, chorando e indignado, Luizinho retirou seu holerite do bolso, jogou no chão e depois mostrou o baixo salário que recebia como coletor de lixo. Seu choro acompanhado de indignação fez com que quem assistiu a cena chorasse. Naquele período estávamos no grupo de 28 servidores que lutavam por melhores salários e foram injustamente demitidos e expostos à sociedade como baderneiros.
Luizinho é um bom sujeito, não tenho nada pessoal contra ele.  Mas ser um bom sujeito não é o suficiente para trilhar uma carreira política pautada na coerência. Como disse Messias Mendes, lhe falta “consistência ideológica”.
Sua decisão de apoiar a candidatura de Pupin é enorme incoerência. É contraditória com o que ele vivera em 2006. Afinal, decidiu apoiar o mesmo grupo político que o demitiu injustamente.  Esse apoio pode custar caro politicamente, afinal vai ser difícil explicar os motivos de seu apoio ao seu eleitorado. Talvez tenha sepultado a possibilidade de uma carreira política que poderia ser empregada à favor da classe que pertence: a classe trabalhadora. Afinal, não se deve alimentar nenhuma ilusão de que os poderosos vão atender as necessidades dos trabalhadores.
A incoerência entre o discurso e a prática. Lamentável.

Foto: Fonte: Site Maringá Maringa

Atualizado: recebi a informação do apoio de Luizinho Gari através de vários blogs e e outras fontes. Tornou-se uma informação pública que decidi comentar.
Se por acaso, não houve esse apoio o blog está aberto para o Luizinho se manifestar.

5 comentários:

  1. isso ta virando moda ,num ve os radical do sidicato da senepar, que eh que virou aquilo

    ResponderExcluir
  2. Anônimo: que absurdo Luizinho confiavámos tanto em você.

    ResponderExcluir
  3. Sobre o caso do Luizinho apoiar o Pupin, eu quero ser prático, o que será que prometeram pra ele mudar de lado? Mais interessante, será que ele acredita que a promessa vai ser cumprida? "ME AJUDA AÍ LUIZINHO"!

    ResponderExcluir
  4. Amigo, corrupção virou moda! É uma das práticas mais certas da elite nos partidos políticos. Compram a consciência dos interesseiros. Acretido que em todo partido tem olheiros em busca dos mais fracos para corromper. Basta oferecer um emprego (de volta, por exemplo) ou um cargo de confiança que a camisa muda de cor. O Luizinho estava com o Ênio há tempos. Até brigou comigo por causa dele! kkk, quero muito ver o primeiro encontro deles depois dessa. Ênio, filma pra nós, tá?

    ResponderExcluir
  5. Muita gente deixou de votar no Humberto Henrique pra votar no Luizinho Gari. O próprio Humberto torcia muito para ele ser eleito e somar com a minoria oposicionista na Câmara na luta contra os desmandos do Prefeito Sílvio Barros II. O povo tem participado de suas campanhas políticas e dos seus mandatos, porque a filosofia dele é "franciscana", ou seja, os apoios tem que ser voluntários, de gente que prefere a honestidade e a transparência. Para o nosso grupo de fé e política do Jardim Liberdade,o que sempre importou foi dar continuidade a esse trabalho e crescer na aprovação do povo.Acreditamos que ele sim merecia ser o mais votado nessa eleição, mas o povo preferiu dar essa possição para um cara que nunca fez nada por nós. Será por que? Agora, só é certo que a mudança de lado do Luizinho enfraqueceu o povo e fortaleceu a elite.

    ResponderExcluir