quarta-feira, 19 de junho de 2013

SOBRE AS AGRESSÕES À MILITANTES DO PSTU DURANTE A MANIFESTAÇÃO EM MARINGÁ.



Começo deixando claro que esse texto reflete uma opinião pessoal, o PSTU se posicionará sobre o ocorrido. Para quem não me conhece acho importante uma breve apresentação. Sou assalariado, pertenço à classe trabalhadora e na batalha desde os 13 anos de idade. Hoje, aos 40 anos acompanhados de alguns cabelos brancos e alguma experiência de vida, me permitem ousar essa reflexão.  
Primeiro: para aqueles que não sabem a manifestação que aconteceu ontem em Maringá foi sim organizada por partidos políticos e entidades. PT, PC do B, PSOL, PCB, PSTU, UNE, ANEL, sindicatos e entidades. Foram realizadas várias reuniões para que a manifestação acontecesse. Na última reunião ficou acordado, pelos organizadores, que aqueles que quisessem apresentar suas bandeiras assim poderiam fazê-lo.   
Ontem no início da manifestação assim que militantes do PSTU levantaram suas bandeiras foram rodeados por uma turba de “pseudo-manifestantes” (alguns  inclusive usando máscaras) e agredidos com violência e covardia.  No microfone, os organizadores mandavam que as bandeiras fossem enroladas. Ou seja, romperam com o que foi acordado na reunião de organização sobre a liberdade para expor bandeiras.
Acredito que os militantes do PSTU jamais permitiriam que um militante de outro partido, ou qualquer pessoa, fosse agredida simplesmente pelo fato de ter levantado sua bandeira. E ontem lamentavelmente a liberdade de manifestação e expressão não foi defendida pelos organizadores que tinham a obrigação política, moral e classista de defendê-la. Mas não o fizeram.
A reflexão é interessante: por que os meios de comunicação de massa tem feito campanha contra a participação dos partidos nas manifestações? Quem são os partidos de “pseudo-esquerda” que concordam com esse posicionamento? A quem isso favorece? À direita reacionária ou aos partidos de “pseudo esquerda”? Quem tem vergonha de levantar sua bandeira que não a levante. Esconder sua bandeira, aquilo que acredita, isso sim é oportunismo. Durante a semana nas redes sociais ameaçavam queimar nossas bandeiras. Oras, falar de política nas redes sociais sentado na poltrona e sob o anonimato é fácil. Ir para a rua e enfrentar governo, polícia e capangas como já fizemos, isso sim é militância e não oportunismo.
Hoje está sendo usada a expressão “o gigante acordou”.  O PSTU não estava dormindo. Prova disso é que está presente em lutas por todo país. Em Maringá não é diferente. Na greve de 31 dias dos municipais em 2006 durante a administração Silvio e Pupin, nas greves da UEM, nos movimentos sociais, de moradia, sindicais, contra discriminação e opressão de gênero.
Para mim, as mudanças ocorrem nas lutas travadas no dia a dia, numa militância efetiva em que o discurso seja refletido na prática e não se acovarde em defender quem quer que seja de uma agressão covarde e violenta.
           Por fim, repudio todo e qualquer tipo de restrição de liberdade e manifestação contra quem quer que seja. Lamento com profundo pesar a inércia das agremiações que faziam parte da organização da manifestação que foram omissos diante das agressões covardes de “pseudo manifestantes” contra o grupo de militantes do PSTU.   A história tratará de julgá-los. 

Saudações revolucionárias.

4 comentários:

  1. Olá Paulo

    Paz e bem.

    Em primeiro lugar, sou contra toda e qualquer forma de violência, agressão... Não sou filiado a partido nenhum. Respeito todos os filiados de qualquer partido, mesmo sabendo que as pessoas por trás dos partidos têm deixado a desejar há muito neste país. Vejo a comoção no país. As pessoas - o cidadão de bem, pagador de impostados (goela abaixo) impostos, está com a paciência esgotada. De saco cheio de tanta lambança de nossos governantes. Quando se diz governantes, lembramos de Partidos Políticos - todos. Temos acompanhado o confronto da população brasileira, espezinhada e achacada, na reivindicação de dias melhores, em todos os sentidos, para todos. Recebi, através de minha conta particular do Facebook, o convite para participar da manifestação. Por Deus, se soubesse que havia sido iniciativa de partidos políticos, não iria. Particularmente não gostaria de participar de uma manifestação acompanhando ou seguido de uma bandeira da cor que fosse ou partido. Esse momento em que vive o Brasil, de buscar o que seu por direito, não diz respeito a NENHUM Partido Político. O azul, o Amarelo, o Verde e o Branco (assim mesmo, com letra maiúscula - em respeito à nossa Bandeira - são as ÚNICAS cores que o povo irá aceitar, e sem sigla NENHUMA. Desculpe, mas acredito que faltou bom senso ou senso comum, em pegar carona na verdadeira vibração do povo e tentar capitalizar em cima ao enxertar insígnias ou ícones que não significam nada para o cidadão do Brasil . Termino deixando claro que este MEU texto também reflete uma opinião totalmente pessoal, a minha. Saudações carregadas de indignação.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E o bom senso da massa descerebrada que se juntou, em primeiro lugar, ao redor do caminhão de som que os partidos levaram para o local de concentração? Quer dizer que bom senso é rechaçar quem empunha bandeira e sempre esteve lutando pelo saneamento na política brasileira, mas se aproveitar do empenho desses mesmos partidos em levar um caminhão de som, aí pode? Engraçado o senso de oportunidade da "massa manifestante" em deixar os filhotes irem pra rua brincar de Anos Rebeldes, mas não querem saber de politizar o movimento? E se fossem bandeiras não-vermelhas, do DEM, do PSDB, PMDB, etc?

      Excluir
  2. Lamentável, mas também acredito que o PSTU foi meio ingênuo (ou qualquer um que levou alguma bandeira), ao meu ver quando você estende uma bandeira você acaba generalizando todas as pessoas ao seu redor, você tem o direito de expor sua posição política mas não de impor sobre os outros. (mas não justifica a agressão) Uma solução talvez seria ao invés de bandeira as pessoas utilizarem roupas (não sei se isso seria uma solução real, poderia vir acontecer a mesma coisa, mas aí comprovaria ainda mais a ignorância do povo). O triste mesmo é ver que muita gente não possui partido porque simplesmente não existe partido que os representam.

    ResponderExcluir
  3. Parabéns pela postagem Paulo, concordo em tudo o que disse... abrçs.

    ResponderExcluir