terça-feira, 5 de novembro de 2013

ADMINISTRAÇÃO PUPIN PREFERE INVESTIR EM PROPAGANDA DO QUE VALORIZAR OS SERVIDORES




A assembléia que teve como pauta o Plano de Cargos Carreiras e Salários (PCCS) teve inicio com a Câmara de vereadores lotada de servidores.
Primeiramente é importante dizer que a proposta apresentada hoje foi elaborada por uma comissão em que faziam parte servidores indicados pela administração e representantes da direção do sindicato.
Havia um boato de que os servidores que recebem os menores salários teriam avanços salariais, o que não passou de boato.
De forma geral a proposta apresentou avanços salariais para algumas categorias, entre elas setores com um número pequeno de servidores. Algumas categorias receberiam gratificações que variam de 50% à 100%.
Por outro lado, categorias como serviços gerais, auxiliar de creche, pedreiros, auxiliares de  enfermagem e algumas categorias da SEMUSP, pela proposta apresentada hoje não teriam avanço salarial nenhum e continuariam a receber os salários que recebem atualmente.
Não se trata de ser contra o avanço salarial para qualquer categoria.  Pelo contrário, afinal estão com seus salários defasados há muitos anos. Mas há de se questionar o fato de que as categorias que não tiveram avanços salariais são justamente aquelas que recebem os menores salários, que na verdade são a maioria dos servidores.
A proposta apresentada hoje manteve as distorções de carga horária e a política de concessão de abonos. Para piorar trouxe a desastrosa possibilidade de concessão de reajustes salariais diferenciados por categorias.
Vale lembrar que a administração Pupin gastou nos primeiros seis meses R$ 5 milhões em publicidade, o que corresponde a R$ 29 mil por dia. Em dezembro de 2012, quando contava com 277 cargos comissionados gastava R$17 milhões/ano com o pagamento desses comissionados. Atualmente a administração conta com 334 cargos comissionados. Apenas como comparativo a vizinha Londrina tem na folha de pagamento 93 cargos comissionados.
Finalizando, uma administração que gasta em seis meses mais de cinco milhões em propaganda e tem na sua folha de pagamento 334 cargos comissionados definitivamente não têm como prioridade valorizar os servidores de carreira, principalmente aqueles que recebem os menores salários.
E a mudança continua...
PS: próxima assembléia para tratar sobre o PCCS é dia 20. Servidores compareçam para defender suas reivindicações.

Clique aqui.

Nenhum comentário:

Postar um comentário