domingo, 21 de dezembro de 2014

A passarela do Parque do Ingá hoje



Inaugurada em 2006 pelo então prefeito Silvio Barros II, futuro secretário de planejamento do Governo Beto Richa, a passarela do Parque do Ingá custou R$ 140 mil. Ficou aberta por pouco tempo e encontra-se assim.

sábado, 20 de dezembro de 2014

O repugnante Bolsonaro, o machismo e os crimes da ditadura



Bolsonaro disse que a palavra dele é uma arma. De fato, dizer que uma mulher merece ser estuprada ou o contrário, que não merece ser estuprada porque é feia, é uma arma que dispara e acerta todas as mulheres num país em que, segundo as estimativas do Ministério da Justiça, 50 mil mulheres são estupradas por ano.

A fala de Bolsonaro corrobora as já conhecidas posições machistas, racistas e homofóbicas que ele propaga aos quatro ventos. Esta é a segunda vez que ele repete o mesmo ataque à deputada Maria do Rosário (PT). A primeira foi em 2003, quando, além de ameaçá-la, ele a empurrou.

Dizer que uma mulher merece ser estuprada, é ter a concepção do estupro como arma contra as mulheres, assim como esta violência é praticada como crimes de guerra ou como forma de tortura. Por isso, nos solidarizamos com a deputada Maria do Rosário, que sofreu diretamente a agressão, e consideramos que o ataque de Bolsonaro atinge todas as mulheres que vivem num país em que a violência contra a mulher só aumenta. A cada duas horas, uma mulher é assassinada vítima de violência machista, números de uma verdadeira epidemia.

Mas por que Bolsonaro repetiu esta barbaridade justamente por ocasião da discussão sobre a da entrega do relatório da Comissão Nacional da Verdade? Bolsonaro, que já defendeu a tortura publicamente e é um entusiasta do regime militar, condena o relatório e o vê como uma ameaça à impunidade que hoje resguarda os torturadores e assassinos da ditadura. Apesar de todos os limites da Comissão Nacional da Verdade, por pressão dos movimentos sociais e em decisão dividida, o relatório recomenda a não aplicação da Lei da Anistia, o que permitiria julgar e condenar os criminosos do regime militar.

Esta simples recomendação, não tem poder legal e não conta com o apoio nem mesmo da presidente Dilma, que já declarou que “as cicatrizes podem ser suportadas e superadas” e até agora tem se manifestado contra a revisão da Lei da Anistia.

Debates como este deixaram pessoas como Bolsonaro, um militar da reserva e a quem tanto interessa esconder os crimes que os militares cometeram, assim como assegurar que nunca haverá punição a eles, muito incomodadas. E tortura e machismo teve tudo a ver com o regime militar, que se utilizou dos estupros, dos chutes na barriga das grávidas, da tortura mediante à presença dos filhos pequenos, e de todo tipo de intimidação para tentar desmoralizar as mulheres e arrancar informações.

É por isso que a impunidade aos crimes da ditadura não pode prevalecer, pois é esta impunidade que continua dando asas e permitindo que seres repugnantes como Bolsonaro se sintam à vontade para destilar o ódio às mulheres, aos negros, aos pobres, aos indígenas e aos LGB’Ts. Diante do processo pedindo a cassação do seu mandato, Bolsonaro tripudiou, pois nunca foi punido por nada.

As cicatrizes que Dilma quer superar com os pactos e acordos com partidos como o PP, base de sustentação do seu governo e partido do Bolsonaro e do Maluf, estão mais abertas do que nunca. As cicatrizes permanecerão abertas enquanto os criminosos da ditadura continuarem impunes e enquanto pessoas como Bolsonaro continuarem destilando seu machismo no Congresso Nacional.

Ao contrário, não queremos que estas cicatrizes sejam fechadas, pois as mulheres que foram torturadas e assassinadas, ou que tiveram seus filhos desaparecidos na ditadura, assim como todas as mulheres que continuam sendo vítimas da violência, do estupro e do machismo todos os dias, querem justiça!

Cassação do mandato e cadeia para Bolsonaro!
(Fonte: Site do  PSTU)

quinta-feira, 18 de dezembro de 2014

PRESENTE DE NATAL DA ADMINISTRAÇÃO PUPIN PARA OS SERVIDORES



Acabei de me informar no RH sobre a data do pagamento de dezembro. Diferente do que acontece há anos o pagamento de dezembro será feito depois do Natal, no dia 29. Quem esperava o pagamento antes da ceia, principalmente aqueles que têm os menores salários, pode botar mais água no feijão. Esse é o presente da Administração Pupin para os servidores. E a mudança continua...

terça-feira, 16 de dezembro de 2014

CONDIÇÕES SUB-HUMANAS DOS CATADORES DE RECICLÁVEIS DE MARINGÁ SÃO MOSTRADAS NO CQC



Um projeto acadêmico em que vários estudantes do curso de Direito visitaram as cooperativas de reciclagem em Maringá rendeu uma reportagem do Programa CQC de ontem. Foi divulgado a nível nacional as condições sub-humanas de trabalho dos catadores de recicláveis de Maringá, “a cidade verde”. No dia da visita postei uma reportagem no blog com o título “O Abandono das Cooperativas de Recicláveis de Maringá: a Dignidade Jogada no Lixo” (aqui).

Honestamente não sei como viabilizaram para ir parar no CQC mas parabenizo aqueles que se empenharam em divulgar essa triste situação. Parabéns também ao Thiago Detros que se expressou muito bem na reportagem. Tenho certeza que todos tiveram como único objetivo ajudar aquelas pessoas que vivem em condições sub-humanas. Esperamos que essa triste realidade mude o quanto antes.

Em tempo: a reportagem na íntegra pode  ser vista clicando aqui.